BOMBAS CENTRÍFUGAS

Um sistema de carga desta estação é composto por uma bomba centrífuga de 1″, com capacidade de vazão de 1 metro cúbico por hora, sendo acionada por motor de 1,5 CV, que movimenta água entre dois tanques de 100 litros cada um, construídos em acrílico transparente, um superior e outro inferior com diferença de altura de 2 metros. Os dois tanques têm graduações de 5 em 5 litros serigrafadas nas paredes externas.

Entre os tanques é instalado um duto de escoamento com uma válvula de retenção e uma válvula manual ligada em paralelo com uma válvula tipo solenóide, comandada pelo CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL (CLP) desta estação.

Na saída da bomba centrífuga é instalada uma válvula de retenção, uma válvula proporcional de estrangulamento comandada pneumaticamente através de posicionadores, transmissor de pressão diferencial com indicação local de pressão em Kgf/cm, transmissor de pressão diferencial para a indicação de vazão em metros cúbicos/hora através de placa de orifício, manômetro tipo petroquímico de 4″ com escala em Kgf/cm e rotâmetro para a indicação analógica da vazão.

No reservatório superior é instalado um transmissor de pressão diferencial para a medição do nível com indicação local em litros.

Todos os sensores e transmissores mencionados tem seus indicativos monitorados (histórico, curvas e valores instantâneos) e mostrados no supervisório da estação.

Adicionalmente, os reservatórios têm sensores de nível digitais destinados à proteção quanto ao transbordamento ou baixo nível de trabalho da bomba.

Todas as tubulações e conexões são de material metálico não corrosível por água como cobre, latão ou aço inoxidável.

Todas as emendas são feitas com conexões roscadas ou soldadas em 3/4″‘ BSP e com acabamento pintado com tinta esmalte sintético na cor verde.

Outro sistema de carga é um dinamômetro com capacidade de 3 CV, constituído por um sistema de frenagem por disco de Foucault, controlado pelo software supervisório através do Controlador Lógico Programável (CLP) da estação, em tela própria, que permite a aplicação de torque ao eixo do motor em prova a até 120% de seu torque nominal.

Ensaios básicos da Estação de Simulação – Bomba Centrífuga A Estação da Bomba Centrífuga/Dinamômetro permite os seguintes ensaios/estudos:

  • Levantamento da curva característica da bomba, ou seja, conjugado no eixo em função de sua rotação;

  • Levantamento da curva característica dos motores (convencional e alto rendimento), ou seja, conjugado no eixo em função de sua rotação;

  • Estudo da eficiência energética dos motores para variações de carga entre 0 a 120%;

  • Estudo da eficiência energética dos motores em função da variação da vazão da bomba (estrangulamento da válvula);

  • Estudo de eficiência energética dos motores em função da utilização de inversores de freqüência, através da variação de velocidade do conjunto motor-bomba;

  • Comparação entre as grandezas elétricas e mecânicas considerando as partidas direta, suave (soft start) e inversor de freqüência;

  • Levantamento das curvas de todos os parâmetros elétricos e mecânicos monitorados em função do tempo de funcionamento do conjunto motor-bomba;

  • Simulação de rede subdimensionada na alimentação da bomba.

Layout básico da estação de simulação – Bomba Centrifuga

bomba

Clique para ampliar a imagem